quinta-feira, 5 de julho de 2007

O assassino que inspirou "O massacre da serra elétrica" de Tobe Hoper


Ed Gein, foi o insano que inspirou Leatherface, o assassino do filme "O massacre da serra elétrica", Norman Bates de "Psicose" do Hitchcock e Buffalo Bill de "O silêncio dos inocente", filme de Jonathan Demme.
Nascido Edward Theodore Gein, em 27 de agosto de 1906, na cidade de Plainfield no Estado norte-americano de Winsconsin, Ed Gein só começou sua matança depois que sua mãe faleceu e, dizia ele, sempre a pedido dela.
Antes de começar a matar propriamente, Ed iniciou-se na necrofilia e canibalismo. Desenterrava mulheres no cemitério de sua cidade e com elas praticava sexo e canibalismo. Guardava sempre as cabeças e os órgãos genitais e os colocava em calcinhas e as usava. A pela era sempre posta sobre um manequim feminino e eventualmente usada como roupa pelo assassino.
Mais tarde, "a pedido de sua mãe", começou a matar mulheres. A primeira vítima, em dezembro de 1954, foi Mary Hogan, dona de um bar. A segunda, em novembro de 1957, foi Bernice Worden. É o corpo desta última que foi encontrado por policiais
despido e decapitado com um corte que ia da vagina até o pescoço, pendurado de cabeça para baixo num gancho de açogueiro e amarrado com cordas. Esse momento pode ser conferido no making of do remake do filme "O massacre da serra elétrica" dirigido em 2003 por Marcus Nispel.
Consta dos relatos policiais que foram encontrados vários crânios que eram utilizados como se fossem pratos e uma caixa de sapato contendo várias vulvas, inclusive a da sua mãe, guardada com destaque e pintada com tinta prata.
Para justificar seus atos, Ed confessou que costumava vestir-se com apetrechos feitos de restos humanos para fingir ser sua própria mãe.

Dizem que a vida imita a arte. Neste caso a arte não precisou ser muito criativa para imitar a vida. A história já estava toda pronta. Foi só incluir uma coisinha aqui, outra ali, omitir outras, e nasceram três grandes filmes sobre serial killer.

Gosto dos três, mas tenho uma predileção pelo Massacre, não sei o que é, acho que é o clima, o baixo orçamento e a figura do Letherface. Minha cena preferida: o jantar em família.
Já Psicose, é o clássico dos clássicos. Dizem que quando do lançamento, o
Hitchcock proibiu que as pessoas entrassem no cinema depois que o filme tivesse começado, para não estragar a surpresa.
O silêncio dos inocentes, dos três, é o que menos utilizou-se dos elementos caracterizadores da mente insana de Ed Gein. Ganhador de alguns Oscares, iniciou uma saga cinematográfica de sucesso ao desviar a atenção do serial killer Buffalo Bill (o assassino do filme) e focá-la na figura de Hannibal Lecter, o canibal do filme que estrelou mais três outros: O dragão vermelho, Hannibal e Hannibal o início.

3 comentários:

Heraclito disse...

Ja ouvi falar, mas nao sei se eh verdade, que o Ed Gein tambem fazia bolinhos de carne (humana, logico) e vendia na cidade onde morava. E os tais bolinhos faziam um sucesso incrivel, eram realmente deliciosos!!!

jamagonça disse...

Olha, Heraclito, essa história eu não conhecia não. Mas não duvido que seja verdade, afinal, o cara era muito maluco!!!
Grande abraço.

Summers disse...

desconheço essa versão, há muitas ficções que rondam a verdadeira história, muitas suposições, eu diria mais uma fofoca ou telefone sem fio, rss'